domingo, 27 de outubro de 2013

EXISTÊNCIA

Qual o segredo da existência? Seria a simples produção de uma essência que se acumula em algum lugar ainda indeterminado, mas que todos têm contato, porém limitados para algo ou alguém indeterminado, mas “merecedor” ou não acessar? Talvez até já estejamos acessando, quando somos tocados por uma inspiração, presságio, premonição ou coisa do gênero. 
Mas por que existimos? Seria para repartimos o efêmero conhecimento que diariamente é produzido e que se dispersa com o vento sem percebemos. Pois, somos compostos de átomos, por efeito as partículas que os formam pertenceram ao Universo. Diante disso, o que hoje esta em meu corpo, um dia esteve em lugares e tempos que nem se pode imaginar. De certa forma então somos o Universo, porque fazemos parte de seus versos, já que estamos integrados em um sistema de provável interdependência entre os elementos que existem no seu todo. Ou seja, já fomos de todos, de tudo e de ninguém e mesmo assim desconhecemos o além ou não aceitamos.
Nossa existência se expressa em matéria e energia que independentemente da vontade se irradia, e numa constante troca, migração e imigração de partículas são construídos os dias dentro de uma complexa harmonia.
Mas tudo não passa de especulação, o devir milenar alimentado por novos conhecimentos, que nunca foram novos, pois, o expressamos a partir de uma inspiração achando que descobrimos algo, mas que na verdade foi apenas uma contaminação promovida por uma única partícula que um dia pertenceu a uma fonte ou “ser” que transcende o raciocínio convencionado.
Convencionamos que se existimos é por algum motivo. Qual seria este motivo? Talvez ao tentar entende por que existimos, acabamos se confundindo com o motivo da existência. Somos máquinas orgânicas auto regenerativas, porém limitadas a um tempo de funcionamento, isto é fato. Mas a energia que deixa esta máquina, a qual chamam de espírito, para onde vai e por que tem que ir? Tento não ser afetado pelo misticismo, mas seríamos nós a própria onipresença e sabedoria universal que tanto devotamos?
Mas por que voltar ao criador? Seriamos um recipiente que armazena resultados de experiências intelectuais, para ser aplicado num futuro mundo perfeito. Pois, querendo ou não nosso Universo também esta morrendo. E segundo teorias físicas, uma simples partícula de energia aplicada em uma outra realidade “morta” seria o suficiente para iniciar um novo Universo. Ou seja, estamos construindo o Universo de amanhã.
É engraçado, se existe a circunstância onde a ação e a reação rege até o menor espaço, então porque não racionalizar que esta ação e reação é um princípio, uma regra, uma lei geral aplicável. Ou seja, não produzimos apenas o nosso futuro no Planeta, mas dentro de uma complexidade estamos produzindo algo maior.
Não sei se estou certo, mas as interpretações doutrinárias religiosas falam de estágios até alcançar o “Céu Supremo”. Não seria esta uma grande metáfora que explica o motivo da nossa existência?

No entanto a questão elementar é descobrir se vida e existência são sinônimos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário