domingo, 24 de novembro de 2013

O CAOS DO TRANSITO NACIONAL


"Havia um tempo que o transtorno do trânsito era um problema vivido exclusivamente pelos cidadãos dos grandes centros urbanos. Porém, nos últimos cinco anos este quadro mudou e contaminou toda a malha viária. Um dos principais fatores para que isto ocorresse foi a política de popularizar o automóvel, a qual a princípio funcionou. Pois, “o direito do cidadão possuir um automóvel” acabou saturando as obsoletas ruas que não foram planejadas para receber uma demanda tão grande de veículos transitando como temos hoje. E mesmo que fossem planejadas, a situação não seria diferente!
Mas o caos no trânsito não se resume só na qualidade que as vias possuem, mas também se relaciona diretamente as atitudes do usuário dos meios de transportes terrestre. Já que, do mesmo jeito que se tem o “direito de adquirir um automóvel”, existe o ônus do dever de conduzi-lo dentro das normas e zelar pela máquina que possui. Principalmente se racionalizar que um carro nas mãos de uma pessoa sem responsabilidades, se torna uma arma que onera os cofres públicos e saturam a Saúde e por efeito atingem a pessoa de bem quando necessita utilizar os serviços da Saúde.
Carro e moto não são brinquedos, devem possuir uma manutenção adequada (não lavagem de aparência); devem estar em dia com seus devidos tributos; devem possuir um condutor habilitado oficialmente para o mesmo. Pois, caso contrário quem paga a conta no final do mês é o cidadão responsável. O qual vê tudo isto e se cala achando que não deve se preocupar com os outros. Porém, não percebe a interligação dos problemas gerados pelo mau “dono de carro”, com os efeitos no seu dia a dia.
Questionamento: por que carros com mais de vinte anos, que são justamente os que mais poluem; os que mais gastam combustível e por efeito oneram o preço do mesmo já que quanto mais se usa, mais se precisa; que estão sucateados; que estão nas mãos de pessoas desabilitadas; que estão fora do padrão de segurança contemporâneo e que também sobrecarregam o trânsito, não pagam IPVA?
Por que as multas de trânsito não são revertidas diretamente para a Saúde Pública? Onde esta a fiscalização para retirar da rua carros sucateados, devedores de tributos e conduzidos por pessoas desabilitadas? Por que as taxas de financiamento subiram tanto? Seria efeito da inadimplência de quem quer ter carro sem poder ter?"
Sucatas trafegam livremente por vias sem sequer pagar IPVA porque estão isentas! Os custos da poluição e da segurança no trânsito deve ser só de quem tem carro novo ou semi-novo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário