quinta-feira, 7 de novembro de 2013

ORDEM HUMANA

 
Na compreensão atual da ordem humana, existe a necessidade de contemplar a existência do estado livre e racionalidade. Esta suposta ordem necessita ser construída pela racionalização que encontra finalidade e do estado livre que permite formalizá-los.
O raciocínio que ainda não logrou êxito da origem da justiça, encontra diversos pontos em comum a questão não resolvida da construção de uma ordem humana. O fato norteador desta ordem humana necessita ser a justiça artificial, para que se concretize em uma condicionada disciplina que é ordem em estado livre, conhecida como bem comum.
Desta forma, se parte de uma racionalização de ordem no cosmos. O homo sapiens sapiens não descobre o ser, porém, descobre os seres, que são manifestações de uma delimitada natureza. Neste contexto, cada ser contém definidas características. Os diferentes seres se manifestam de uma ordem específica. Cada estilo de ser vai expressar espontaneamente o que esta ocultada no contexto de uma forma existencial. Diante desse fato, se descobre a origem de uma nova ordem. Ou seja, uma ordem que surge da racionalidade do ser humano, que encontra as finalidades e da motivação que extingui os valores. Por este motivo, a constituição desta nova ordem dispõe no filho da Filosofia a ação racional e a motivação, que se tipificam como uma íntima característica original.

Concebe-se que o ser humano quer personificar uma convivência na sociedade, que articule a metamorfose da lei de causalidade em lei de finalidade. Existe a necessidade de se refletir sobre o que nasce no interior desta delimitação, que a princípio é convencionada de justiça. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário